Gestão de Processos

Toda empresa tem suas bases fundadas em processos, mesmo que esta não esteja consciente disso. São os processos que baseiam todas as suas atividades.

Identificando os processos será possível perceber que mesmo em atividades de fluxos bem definidos como em atividades menos formais, os processos estão presentes.

Uma vez identificados, esse podem ser divididos em etapas para sua análise e posterior aprimoramento.

“Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo. Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa sem um processo empresarial.”

Observamos, também, que os passos de certos processos organizacionais não precisam ser cuidadosamente definidos nem consistentes ou realizados numa seqüência particular (Morris e Brandon, 1994).

Não devemos entender apenas como processos aqueles que ocorrem no envolvimento de atividades fabris, o que é um equivoco muito recorrente em analises superficiais ou sem base em uma empresa.

Na verdade, os processos empresariais são atividades coordenadas que envolvem pessoas, procedimentos e tecnologia.

Entendendo que os processos envolvem não apenas atividades realizadas, mas todo o contexto a sua volta, podemos afirmar que processo empresarial é “como produzir alguma coisa” (Malone et al., 1997).

“O futuro vai pertencer às empresas que conseguirem explorar o potencial da centralização das prioridades, as ações e os recursos nos seus processos.”

Para uma melhor identificação, podemos dividir os processos em três categorias. Os processos empresariais, focados no produto ou serviço oferecido ao cliente, processos organizacionais, integrando os sistemas e processos da empresa afim de suportar os processos empresariais e os processos gerenciais, focados nas praticas gerenciais, mediações e integrações organizacionais.

“As empresas do futuro deixarão de enxergar processo apenas na área industrial, serão organizadas em torno de seus processos não fabris essenciais e centrarão seus esforços em seus clientes.”

O gerenciamento de processos empresariais pode ser observado como a busca de melhoria contínua voltada para o cliente. Varvakis (1998) suporta esta idéia ao afirmar que o gerenciamento de processos é a definição, análise e melhoria contínua dos processos com objetivo de atender as necessidades e expectativas dos clientes.

 Sendo, portanto, o gerenciamento de processos entendido como um processo de gestão, este deve ser revisado, avaliado e melhorado continuamente devido às mudanças no entorno organizacional no qual a gestão é feita. De forma geral, estas mudanças são originadas pelo atual e acelerado desenvolvimento tecnológico, permitindo representar oportunidade de melhorias (Anderson; Tushman, 1990)

 “Abandonando a estrutura por funções, que foi a forma  organizacional predominante nas empresas do século XX, as empresas estão organizando seus recursos e fluxos ao longo de seus processos básicos de operação.”

Por muitos anos, as empresas foram gerenciadas por conta de metas estabelecidas para cada uma das áreas funcionais, porém, hoje em dia, com a aplicação de uma gestão por processos, as metas são definidas para os processos essenciais, que constituem um nível fundamental de avaliação de desempenho da organização. A gestão por processos, se baseia, portanto, nos elementos básicos dos processos: tarefas executadas, reuniões realizadas, decisões tomadas, metas alcançadas e resultados produzidos pelos processos.

Tradicionalmente, as empresas ignoram seus processos, mas elas têm muito a ganhar ao se dedicarem a conhecê-los melhor (Hammer, 1998). De acordo com algumas pesquisas, o processo produtivo de um produto industrial genérico pode custar cerca de 10% do valor do produto e, durante décadas, esse processo tem sido o foco do esforço de otimização de resultados e redução de custos nas empresas (Harrington, 1991).

 Processos de inovação pode ser o lançamento de novos produtos e serviços ou a melhoria e implantação de novos processos. Por outro lado, é de suma importância que os gestores, na busca pela inovação e pelas vantagens competitivas dela decorrentes, consigam identificar os recursos e as capacidades da empresa que suportam o processo da inovação. Isso pode ser de caráter estrutural, como processos e ferramentas, ou a estrutura organizacional propriamente dita; pode ainda ser de caráter humano, como as competências, os comportamentos individuais e a cultura organizacional.

 O impacto da tecnologia na realização do trabalho abrange desde alterações na forma de realização do trabalho individual até a maneira pela qual as empresas trabalham juntas em processos interorganizacionais, passando pela redefinição da maneira pela qual os grupos de pessoas realizam suas tarefas grupais.

 A análise e gerenciamento dos processos traz sem dúvida resultados significativos na eliminação ou redução dos chamados “custos invisíveis”, mas, muito mais do que isso, contribui para uma mudança de filosofia de trabalho. Uma organização orientada a processos é antes de mais nada uma organização consciente das necessidades de seus clientes e de seus objetivos de negócio.

About Prof. Leandro Vaz

14 anos de experiência em Treinamentos, Cursos, Palestras e Workshops. Instrutor Certificado ITIL V3, ISO 20.000 e Cobit 4.1 e IBM em workflow nas áreas de administração e desenvolvimento. 12 anos de experiência, atuando em ambiente de administração e desenvolvimento de aplicações principalmente no Gerenciamento de Projetos e Liderança de Equipes.

Deixe um Comentário